Cidade

TCU barra aumento do pedágio

Na última quinta-feira (18), o reajuste da tarifa de pedágio foi autorizada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O aumento foi de 15,13%, nos trechos de Serra, Guarapari, Itapemirim, Pedro Canário, São Mateus, Aracruz e Mimoso do Sul e pegou muitos motoristas de surpresa.

Mas, os motoristas que trafegam pela via não ficaram satisfeitos com o reajuste. Pois segundo eles, não estão  vendo nenhum beneficio desde que, a Eco 101 assumiu a administração da rodovia. Alguns dos problemas anteriores continuam.

Em entrevista para a nossa equipe, o motorista que passa pela BR 101 constantemente disse que, não houve muitas mudanças, e problemas anteriores não foram resolvidos.

“A única mudança que ocorreu foi o socorro em caso de acidente, e quando ocorre defeito no veículo, que o mesmo para de funcionar na via. Nesse casos, o socorro chega rápido. Porque, as benfeitorias que constam no contrato e deveriam já terem sido executadas, ainda não foram. Continuamos enfrentando o mesmo problemas, buracos nas vias, vias alagadas na época de chuva, a não duplicação da via, entre outros,” pontua o motorista José Francisco.

A comissão de Fiscalização da Câmara dos Deputados entendeu que, o aumento veio com muita surpresa, e não condiz, com a taxa da inflação que ficou na casa dos 4%. E permitir que esse reajuste seja feito sem que todos os investimentos  tenham sido realizados, é uma afronta aos usuários da rodovia.

Com isso, a comissão enviou uma solicitação para a verificação da possibilidade da suspensão do reajuste de R$ 15,13%, para que também o Tribunal de Contas da União (TCU), reconheça que é necessário uma analise mais rigorosa nos critérios de avaliação para o aumento na tarifa do pedágio.

Após, analisar o pedido da comissão, ouvir a ANTT e a Eco 101, o TCU ordenou a redução do reajuste da tarifa de pedágio. Então, a partir desta sexta-feira, a Eco 101 informou que, irá cumprir a determinação do TCU. Isso, soou como um alivio para os motoristas que se sentiam prejudicados por pagarem tarifas altas e não verem os resultados na rodovia.

 

Share