Primeira Feira de Artesanato da Serra foi um fracasso

  • Post author:
  • Post category:Cidade
Feira de Artesanato e Economia Solidária da Serra

Um fracasso, um verdadeiro fracasso. Assim podemos definir a Primeira Feira de Artesanato e Economia solidária da Serra, que foi promovida pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Secretaria de Cultura, Esporte, Turismo e Lazer, Secretaria da Agricultura da Serra em parceria com a ADERES – Agência de Desenvolvimento das Micros e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo do Espírito Santo.

A feira que acontece do dia 13 ao dia 16 de dezembro de 2.012 em tenda montada próximo ao Terminal do Transcol  Laranjeiras, ao lado do CRAS – Centro de Referência e Assistência Social de Laranjeiras. Uma estrutura com mais de 1500 metros quadrados que foi oferecida aos Artesãos da Serra totalmente sem custo. A estimativa de publico era de aproximadamente 10 mil pessoas/dia. Mas, na realidade não tem atingido 10 pessoas/dia.

Não é por causa da estrutura ou dos produtos ali expostos, a causa principal do fracasso da feira está no fato de não ter havido em tempo hábil uma divulgação. Muitos amigos e leitores do Serra Notícias enviaram comentários informando que nem mesmo sabia da existência da feira em Laranjeiras.

Uma critica que fazemos há algum tempo sobre os responsáveis pela comunicação da prefeitura da Serra e principalmente das Secretarias responsáveis pela execução de eventos na cidade. Eles priorizam os grandes veículos de comunicação que não são de nossa cidade e que na maioria das vezes não dar a devida atenção a não ser que seja matéria populista ou que gere anúncios publicitários.

A abertura da Feira de Artesanato e Economia Solidaria da Serra no último dia 13 de Dezembro pela Vice-prefeita e Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Serra Madalena Santana, contou com a Presença do Senhor Pedro Rigo, Presidente da ADERES, Berenice Tavares Secretaria de Cultura, Vereadora Sandra Gomes e Rosangela Coordenadora de Artesanato da ADERES. Com discursos empolgantes e pautado no agradecimento mutuo mas com uma audiência ínfima, basicamente composta por funcionários públicos das referidas secretarias e expositores.

Apoiar o empreendedorismo, o artesanato e a economia solidária é uma ação obrigatória do poder publico. Mas, não é aceitável criar eventos carrissimos sem uma divulgação adequada. Não se produz uma feira para demonstração de produtos e serviços que não tenha um publico para compra-los.

Esperamos sinceramente que a mudança de gestão municipal traga outras ideias e também novas cabeças pensantes que promova o empreendedor serrano e principalmente o pequeno empreendedor que não pode ainda contar com uma Associação ou contar com facilidades junto as Secretarias Municipais.

Digo isso por experiência própria. Eu como empreendedor Individual e atuando na “Mídia Alternativa”, sei quanto é difícil conseguir patrocínio, apoio e ate mesmo um simples “release” de matéria da prefeitura da Serra. E já ate ouvi de funcionários ligados a Secretaria de Comunicação que a prioridade é sempre dos grandes veículos de comunicação do Estado e que o Serra Notícias é muito pequeno para que receba qualquer atenção.

Acontece que esses políticos serranos não compreendem que dependem muito dos meios de comunicação para que consigam chegar a seus eleitores e que nós somos os formadores de opinião da cidade da Serra. Um grande jornal que eles pagam caros anúncios em páginas inteiras e que é lido por alguns minutos e depois jogado ao lixo não conseguem atingir tão diretamente as pessoas como é o nosso caso de “blogs alternativos” que postam em todas as redes sociais e mantém por vários anos interagindo diretamente com o leitor.

A Feira de Artesanato e Economia Solidária da Serra está sendo um fracasso justamente pelo fato de não valorizar a divulgação e principalmente por contar com os grandes veículos de comunicação que não deram bola ao evento e consequentemente aos expositores e a população serrana.

Nossa conclusão é de que a Primeira Feira de Artesanato e Economia Solidária da Serra foi apenas um grande desperdício de dinheiro, seja de onde tenha vindo. Não é apenas realizar eventos sem qualquer divulgação e convidar pessoas para participar como o caso dos empreendedores serranos, que vão com a esperança de obter vendas e assim poder proporcionar mais qualidade de vida a seus familiares. É fundamental que o poder público se preocupe não apenas estrutura, mas se preocupe também com o fator humano.

Um calor infernal, falta de água e apenas dois sanitários químicos sujos e na sexta-feira passou a maior parte do dia lacrado sem oferecer condições para uso. Os shows musicais de péssima qualidade e apresentações de grupos de alunos de escolas mal preparados.

Uma pergunta é porque em todo evento da Prefeitura tem show Gospel? – Será que eles pensam que todo mundo gosta do estilo de musica?

É preciso mudar a consciência dos organizadores de eventos. Eles não fazem apenas para o público Evangélico  Tem outros consumidores, e afinal de contas a Constituição Federal garante a liberdade de culto e somos um “estado Laico”.

Podemos dizer que quem se aventurou a visitar a feira teve a grata surpresa de adquirir produtos de qualidade e artesanatos finos, bem feitos e com um atendimento personalizado. Por exemplo o estande da SERRABOA, que ofere artesanato a base fibra de taboa.  São moveis, esteiras, lustres e outros.

 

 

 

*

Mais fotos do evento em nossa página do Facebook (click Aqui)