Caneg/Giro de Negócios gera R$ 53,7 milhões em expectativas de negócios na Serra

  • Post author:
  • Post category:Cidade

“Giro de Negócios e Oportunidades”, que aconteceu na manhã do último dia 26, proporcionou 306 reuniões entre fornecedores e 11 âncoras

lixoAs 11 empresas âncoras que participaram do “Giro de Negócios e Oportunidades”, dentro do Café de Negócios (Caneg) realizado na última quarta-feira, 26, no auditório da Faculdade UCL, na Serra, estimam que R$ 53,7 milhões devem ser gerados em expectativas de negócios nos próximos meses. O montante supera em mais de 44% a estimativa da organização para o evento, que era em torno de R$ 15 milhões. O evento promoveu 306 reuniões entre demandantes e empresas ofertantes de serviços e produtos.

No “Giro”, promovido pela Associação dos Empresários da Serra (Ases) em parceria com o Governo do Espírito Santo, por meio da Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo (Aderes), empreendedores participaram de reuniões em que apresentaram seus produtos e serviços a empresas âncoras de grande porte. ArcelorMittal, Vale, Estaleiro Jurong Aracruz, Petrobras, Biancogrês Cerâmicas, Viminas, Hospital Metropolitano, Hospital Jaime Santos Neves, Grupo Líder – CVC e Grupo Sá Cavalcante e a Secretaria de Estado de Gestão e Recursos Humanos (Seger), foram as demandantes que estiveram no evento.

O vice-governador do Estado, Givaldo Vieira, foi uma das autoridades que esteve presente no evento e comentou que o Caneg é uma agenda regular de desenvolvimento da Serra. “O Governo está fazendo investimentos em mão de obra e estimulando as pequenas empresas a prestarem serviços para as grandes. Essa é uma forma de fazer a população capixaba se apropriar diretamente da chegada de mais grandes âncoras ao Espírito Santo”, ressaltou.

A Serra, 7° município a receber a ação, registrou uma média de reuniões duas vezes superior às anteriores, geralmente por volta de 150 reuniões por dia. O diretor presidente da Aderes, Pedro Rigo, conta que a expectativa de negócios também foi recorde. “Essa região contempla empresas de alto valor agregado, com base tecnológica e mais especializadas. Somado a um ambiente favorável e uma avaliação positiva dos ofertantes, foi possível alcançar resultados até então inéditos para o projeto”, revela.

Os bons resultados alcançados não surpreenderam o diretor presidente da Ases, Antônio Geraldo de Lima, tendo em vista a grande quantidade de indústrias e fornecedores sediadas na Serra, que é uma das regiões mais produtivas e industrializadas do Espírito Santo. “Essa é a prova de que as indústrias e empresas instaladas no município estão ávidas para realizar novos negócios e desejam ampliar suas parcerias comerciais com grandes demandantes”, analisa.

Por meio de reuniões individualizadas e de curta duração, as 11 âncoras apresentaram demandas como materiais de construção, mecânicos, elétricos, de informática e hidráulicos, além de serviços de manutenção e de capotaria. Além disso, o “Giro de Negócios e Oportunidades” possibilitou ainda a troca de informações e ampliação de network entre os próprios fornecedores. “Enquanto aguardávamos o atendimento das âncoras, foi possível conhecer os serviços de outras empresas que também são parceiros comerciais em potencial”, destaca Ana Cristina Souza, da União Implementos Rodoviários.

Ana Cristina conta que se reuniu com oito das 11 empresas presentes e percebeu grande receptividade para os produtos e serviços que estavam sendo ofertados. “Não fomos beneficiados apenas por conhecer as demandas de compras diretas das âncoras, que em alguns casos é de cerca de 20%. Também tivemos facilitado o acesso às empresas que prestam serviços para as grandes, responsáveis por grande parte das contratações”, conclui.