Home » Cultura » Nós produtores culturais merecemos respeito. Não somos mendigos.

Nós produtores culturais merecemos respeito. Não somos mendigos.

Foto: Igreja Reis Magos Nova Almeida

Apoiar a cultura é fundamental para que nossa população possa ter uma vida mais digna. Cultura e educação são fundamentais para a promoção da liberdade do povo de uma comunidade.

A cidade de Serra é considerada um berço da cultura capixaba, e por isso, aqui se produz muita cultura. Somos uma cidade rica em agitadores culturais. Não somente na música. Mas, também no artesanato, na pintura, na literatura e na poesia.

Falar de grupos musicais como a Banda de Pagode Sempre + que atinge grande sucesso em outras cidades e que, aqui na Serra é obrigada a se apresentar em barzinhos e casas de shows, recebendo míseros cachês que na maioria são pagos pelo famoso e detestável “couvert artístico”, ja que não tem a facilidade para conquistar o direito de apresentar-se em palcos de festas e palcos montados na época do verão na Serra. E quando apresentam, recebem apenas o direito de uma carona até o local do show.

Falar de poetas como Teodorico Boa Morte, que além de poesias, compõem músicas de alto nível, está lançando seu quinto livro neste mês de dezembro, ator de teatro e que é obrigado a trabalhar de vendedor de anúncios e propagandas para custear seus trabalhos e sua família.

Falar da pequena mídia que também é uma forma de cultura, que não recebe qualquer incentivo da prefeitura ou da Câmara da Serra, que preferem divulgar suas ações em grandes mídias estaduais e nacionais, que so aparecem aqui na Serra quando algo de muito ruim acontece ou quando uma personalidade nacional vem utiliza esta linda cidade como palanque eleitoral ou vitrine.

Não é a primeira vez que uma personalidade do cenário artístico nacional que vem aqui fazer show, é questionado pela sociedade serrana. lembra do inicio do ano quando aqui veio o cantor Jair Rodrigues para um show em Praia Manguinhos. após receber homenagem da ALES – Assembleia Legislativa do Espírito Santo, outorgada pelo Deputado Estadual Roberto Carlos Teles Braga II?

Chega a ser uma grande disparidade a atuação do poder publico e de nossos políticos. Em momentos eles falam bem da Serra, elogiam a cidade e seu povo. Mas, quando é para apoiar a cultura da Serra e seus produtores culturais, esportistas, etc. eles mudam o tom da conversa e ja não tem dinheiro e que a Prefeitura tá passando por momentos de crise.

Agora mesmo, com a aproximação da realização da quinta edição do Festival da Canção de Nova Almeida, o Governo do Estado, cujo vice-governador Givaldo Vieira é morador da Serra o Governador Renato Casagrande ja foi Secretario Municipal. A Secretaria Estadual de Turismo havia prometido contribuir com um “palco e um som médio” para a realização do Festival. Os organizadores ja estavam contando com isso, quando extraoficialmente foi anunciado que o Governo do Estado não poderá mais fornecer o prometido, simplesmente por burocracia.

Tentar falar com o Givaldo Vieira ou os Deputados Roberto Carlos, Vandinho Leite II, Jamir Malini é impossível. Suas assessorias sempre dizem que nada podem fazer ou que os políticos não tem agenda. Mas, deveriam compreender que um festival deste, pode ajudar não apenas os músicos e cantores da Serra, mas a população e comercio local que aumentam em muito, suas rendas, ajudar na questão do Turismo e em muitos outros quesitos.

A proposta do nosso Portal Serra Noticias de transmitir ao vivo os três dias de festival através de seus sites para todo o Brasil nem foi levando em conta pelo poder publico. Talvez porque seja apenas uma pequena mídia serrana que luta com toda força e garra para informar a população dos fatos acontecidos em nossa cidade. Talvez pelo fato do Serra Notícias escolher uma linha editorial positiva e não como muitas que, preferem mostrar o lado ruim desta maravilhosa cidade.

Vamos continuar esperando que nossos políticos compreendam que a cultura enriquece o povo e promove a paz. Que cultura não é apenas passatempo e os produtores culturais do município precisam também sustentar sua própria vida e a de sua família. Esperamos que eles compreendam que cultura também é uma forma de arrecadação financeira, um produto consumido por muitas pessoas, uma fonte de renda e de riquezas para nosso município e para os cofres públicos.

Nós produtores culturais merecemos respeito, esperamos que eles não nos vejam como mendigos esmolando moedas nas portas dos gabinetes públicos.

Share

Sobre Claudio Pinho "In Memorian"

Veja tambem

Oficina sobre documentário contemporâneo com inscrições abertas

O curso integra a Mostra Documentos Autorais e acontecerá de 3 a 6 de julho …

Share
%d blogueiros gostam disto: