Home » Cidade » Consequencias da irresponsabilidade com a natureza

Consequencias da irresponsabilidade com a natureza

Foto: Divulgação Internet

A extração dos recursos minerais é importante para o desenvolvimento de determinado local. Pois, os minerais são considerados a principal matéria-prima para diversos segmentos do setor industrial, construção civil, ademais são aproveitados como fontes de energia.

Entretanto, a exploração dos minerais provoca uma série de problemas socioeconômicos, afetando diretamente o meio ambiente e a qualidade de vida das pessoas. Um exemplo disso, foi a tragédia que aconteceu em 2015 na cidade mineira, que ficou completamente destruída devido a queda da barragem de rejeitos da mineradora Samarco.

O rastro deixado por onde a enxurrada de lama passou, foi devastação que afetou vidas humanas e animais

Foto: Divulgação Internet – Rio Doce

, prejudicando a flora e por fim, atingiu a região litorânea do Espírito Santo, onde o Rio Doce encontra com o oceano. Inúmeras espécies marinhas sentiram os efeitos dos rejeitos. Mas, mesmo com este impactante acontecimento, a destruição do meio ambiente continua de outras formas.

Nascentes, rios e lagos sofrem com a poluição, provinda do esgoto que é jogado in natura nestes locais. Indignados com essa falta de responsabilidade por parte da empresa que realiza obras de saneamento básico no bairro de Balneário de Carapebus, e da omissão dos órgãos públicos competentes, moradores mostram a atual situação vivenciada por eles, através de fotos e denuncias.

“Não é só a degradação ambiental, os prejuízos socioeconômicos, que preocupam os moradores, é a poluição. Pois, o mar está recebendo todo esse esgoto sem tratamento, o que pode deixar a praia inutilizada para o turismo. Outra preocupação nossa é a proliferação de mosquitos causadores de doenças como: dengue, Chikungunya, zica, e claro a escassez dos recursos hídricos. Estamos passando por um momento de falta de água, mas a Cesan, empresa que faz cobranças referente a conscientização da população em economizar a água, é a mesma que contribui com a poluição e destruição de nascentes, rios e lagos. Isso, nos entristece muito, e ainda temos que ouvir que tudo isso é normal,” afirma a moradora Cassia Sant’Ana.

Estas fotos enviadas por moradores relatam a gravidade da situação. Segundo os moradores, o esgoto que está sendo bombeado do denominado “merdão”, que fica localizado entre as ruas Beira mar e Ficus, cai neste córrego no final da rua Ficus, entre Balneário de Carapebus e Bicanga, e depois segue direto para o mar, que é o mesmo mar de Bicanga, Manguinhos, Jacaraípe etc. É possível detectar que não é só Balneário de Carapebus que está sendo afetado com este problema, mas os bairros vizinhos.

E diante disso, moradores estão se mobilizando e nesta quarta-feira (12/07), um abaixo assinado estará percorrendo Balneário de Carapebus e os bairros atingidos. Este abaixo assinado, as fotos tiradas pelos moradores serão anexados a denuncia que está sendo elaborada por advogados, para ser entregue ao Ministério Publico.

Resposta enviada pela Cesan:

As obras que a Cesan está executando para implantar esgotamento sanitário em Balneário Carapebus e entorno vão levar mais saúde e qualidade de vida para os 8.500 moradores da região. Serão tratados cerca de 35 milhões de litros de esgoto por mês, evitando a poluição do meio ambiente e prevenindo a transmissão de doenças.

É importante ressaltar que os moradores não devem fazer a ligação dos imóveis na rede até que a obra esteja concluída e a Companhia informe que ela pode ser feita. Uma visita técnica foi feita na região pela equipe de relações com a comunidade e a de obras da Companhia, no dia 6 de julho para verificar o andamento do projeto e ouvir a comunidade.

A parceira privada da Cesan, Serra Ambiental, está acima das metas de contrato quanto à implantação de redes em Serra e também quanto ao tratamento do esgoto onde ele já é coletado. Este ano, serão investidos 30 milhões para ampliar ainda mais o sistema. A universalização da oferta de rede para todos os moradores está prevista para ocorrer até 2024.

A Companhia lembra que, conforme a Lei Estadual 7.499 / 2003, os moradores que ainda não contam com rede disponibilizada devem implantar um sistema individual de fossa e filtro e não se interligar a uma rede de drenagem, para evitar a poluição do meio ambiente.

Atenciosamente

Coordenadoria de Comunicação Empresarial da Cesan (P-CCE)

Share

Sobre Jornalista D'Lourdes

Veja tambem

Polícia Militar reinicia os atendimentos da Equoterapia

Na manhã desta quinta-feira (14) foram reiniciados os atendimentos às famílias inseridas no programa de …

Share
%d blogueiros gostam disto: